Romans 3 Comentário Bíblico

Concisão Completa

Capítulo Conteúdo

Objecções respondidas. (1-8) Toda a humanidade é pecadora. (9-18) Tanto judeus como gentios não podem ser justificados por seus próprios atos. (19,20) É devido à graça gratuita de Deus, pela fé na justiça de Cristo, mas a lei não é eliminada. (21-31)

Comentário sobre Romanos 3:1-8

(Leia Romanos 3:1-8)

A lei não podia salvar em ou dos pecados, ainda assim deu aos judeus vantagens para obter a salvação. Suas ordenanças declaradas, a educação no conhecimento do verdadeiro Deus e seu serviço, e muitos favores mostrados aos filhos de Abraão, todos foram meios de graça, e sem dúvida foram tornados úteis à conversão de muitos. Mas especialmente as Escrituras estavam comprometidas com eles. O gozo da palavra e das ordenanças de Deus, é a principal felicidade de um povo. Mas as promessas de Deus são feitas apenas aos crentes; portanto, a descrença de alguns, ou de muitos professores, não pode fazer com que essa fidelidade não tenha qualquer efeito. Ele cumprirá suas promessas ao seu povo e trará sua ameaça de vingança sobre os incrédulos. O julgamento de Deus sobre o mundo deve calar para sempre todas as dúvidas e reflexões sobre a sua justiça. A maldade e a obstinada incredulidade dos judeus, provaram a necessidade do homem da justiça de Deus pela fé, e também a sua justiça na punição do pecado. Façamos o mal, para que o bem possa vir, muitas vezes está mais no coração do que na boca dos pecadores; pois poucos se justificam assim em seus maus caminhos. O crente sabe que o dever lhe pertence, e os acontecimentos a Deus; e que ele não deve cometer nenhum pecado, ou falar uma falsidade, sobre a esperança, ou mesmo a certeza, de que Deus possa assim glorificar-se a si mesmo. Se alguém fala e age assim, sua condenação é justa.

Comentário sobre Romanos 3:9-18

(Leia Romanos 3:9-18)

Aqui novamente é mostrado que toda a humanidade está sob a culpa do pecado, como um fardo; e sob o governo e domínio do pecado, como escravizado a ele, para trabalhar a maldade. Isto é tornado claro por várias passagens das Escrituras do Antigo Testamento, que descrevem o estado corrupto e depravado de todos os homens, até que a graça os contenha ou os mude. Por grandes que sejam as nossas vantagens, estes textos descrevem multidões que se autodenominam cristãos. Os seus princípios e conduta provam que não há medo de Deus diante dos seus olhos. E onde não há temor de Deus, nenhum bem deve ser procurado.

Comentário sobre Romanos 3:19,20

(Leia Romanos 3:19,20)

É em vão procurar a justificação pelas obras da lei. Todos devem se declarar culpados. Culpado diante de Deus, é uma palavra terrível; mas nenhum homem pode ser justificado por uma lei que o condene por quebrá-la. A corrupção em nossa natureza, parará para sempre qualquer justificação pelas nossas próprias obras.

Comentário sobre Romanos 3:21-26

(Leia Romanos 3:21-26)

O homem culpado deve permanecer sob a ira? A ferida é para sempre incurável? Não; bendito seja Deus, há outro caminho aberto para nós. Esta é a justiça de Deus; justiça da sua ordenação, e prover, e aceitar. É por essa fé que tem Jesus Cristo como objeto; um Salvador ungido, assim Jesus Cristo significa. Justificar a fé respeita a Cristo como Salvador, em todos os seus três ofícios ungidos, como Profeta, Sacerdote e Rei; confiar nele, aceitá-lo e apegar-se a ele: em todos estes, judeus e gentios são igualmente bem-vindos a Deus através de Cristo. Não há diferença, a sua justiça está sobre todos os que crêem; não apenas oferecida a eles, mas colocada sobre eles como uma coroa, como um manto. É graça gratuita, mera misericórdia; não há nada em nós que mereça tais favores. Ela vem livremente a nós, mas Cristo a comprou, e pagou o preço. E a fé tem especial consideração pelo sangue de Cristo, como aquele que fez a expiação. Deus, em tudo isso, declara a sua justiça. É claro que ele odeia o pecado, quando nada menos que o sangue de Cristo satisfaria por ele. E não concordaria com a Sua justiça exigir a dívida, quando o Fiador a pagou, e Ele aceitou esse pagamento em plena satisfação.

Comentário sobre Romanos 3:27-31

(Leia Romanos 3:27-31)

Deus terá a grande obra da justificação e salvação dos pecadores levada adiante do primeiro ao último, de modo a excluir a soberba. Agora, se fôssemos salvos pelas nossas próprias obras, a ostentação não seria excluída. Mas o caminho da justificação pela fé para sempre fecha a jactância. Mas os crentes não são deixados sem lei; a fé é uma lei, é uma graça operante, onde quer que esteja na verdade. Pela fé, não neste assunto um ato de obediência, ou uma boa obra, mas formando a relação entre Cristo e o pecador, o que torna apropriado que o crente seja perdoado e justificado por causa do Salvador, e que o incrédulo que não esteja assim unido ou relacionado a ele, permaneça sob condenação. A lei ainda é útil para nos convencer do que é passado e para nos orientar para o futuro. Embora não possamos ser salvos por ela como um pacto, ainda assim possuímos e nos submetemos a ela, como regra na mão do Mediador.

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.