O uso de habitat por mamíferos arborícolas ao longo de um gradiente ambiental no nordeste de Victoria

Abstract

Um total de 1487 observações de nove espécies de mamíferos arborícolas, Acrobates pygmaeus, Phascolarctoscinereus, Petauroides volans, Petaurus australis, P. breviceps, P. norfolcensis, Pseudocheirusperegrinus, Trichosurus caninus e T. vulpecula, foram feitos durante os levantamentos da fauna vertebrada do nordeste de Vitória. O uso do habitat por cada espécie foi examinado em relação a oito tipos de floresta que ocorrem em um gradiente ambiental que varia de locais em alta altitude com alta pluviosidade anual, tositos no interior seco e planícies ribeirinhas. Os mamíferos arbóreos não foram distribuídos uniformemente entre os tipos de floresta. Três espécies (P. australis, P. volans e T. caninus) foram principalmente associadas com tallfastos úmidos; duas espécies (P. norfolcensis e T. vulpecula) foram principalmente associadas com florestas mais secas e matas do sopé das montanhas; as três espécies restantes (A. pygmaeus, P. breviceps e P. peregrinus) ocorreram amplamente em todas as florestas. A composição do conjunto de mamíferos arbóreos mudou ao longo do gradiente ambiental, mas as espécies apresentaram mudanças graduais na abundância com o tiperather da floresta do que descontinuidades marcantes no padrão de distribuição. As maiores freqüências gerais de ocorrência de mamíferos arbóreos ocorreram em florestas tipicamente dominadas por uma mistura de espécies de eucaliptos. O posicionamento à primeira vista de um animal, e a altura relativa no estrato florestal, foram usados para descrever os micro-habitats utilizados. Em geral, os microhabitats ocupados por cada espécie são consistentes com a distribuição dos seus recursos alimentares conhecidos.

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.